Os QR Codes (códigos de resposta rápida) completam quase duas décadas de existência e, depois de serem exaustivamente utilizados em diversas campanhas de marketing, foram empregados em uma ação turística que mescla tecnologia e tradição histórica.

A agência MSTF Partners, de Lisboa, em conjunto com a BIN e a Lobo Mau, criou uma campanha para promover Portugal por todo o mundo. Utilizando pedras de calçada (chiado) e o trabalho dos calceteiros – uma profissão praticamente extinta -, os desenvolvedores elaboraram QR Codes que, quando fotografados, oferecem conteúdo para os usuários logo após a exibição da mensagem: “Acabou de ler o primeiro código QR do mundo feito em calçada portuguesa”.

O código criado e montado à mão com pedras portuguesas é interpretado por dispositivos móveis e, quando lido, reproduz o barulho dos martelos usados durante a montagem e dá informações turísticas, culturais, comerciais, gastronômicas e hoteleiras da região.

A ideia deu tão certo que as pedras com mais de 500 anos de história foram levadas para uma das cidades mais visitadas do mundo, Barcelona. O objetivo era incentivar turistas espanhóis a conhecer Portugal. Quem teve curiosidade de fotografar o QR Code na Espanha, acabou ganhando uma noite grátis em um hotel português.

O vídeo dá a entender que os QR Codes feitos com pedras de calçadas portuguesas serão levados para outros lugares do mundo, inclusive Rio de Janeiro. Será? Vamos aguardar.

O diferencial aqui não é a tecnologia em si, que como já dissemos, foi utilizada milhares de vezes pelo mundo, mas a ideia de combinar a tradição com o moderno, a fim de incentivar o turismo. A tecnologia acabou por ficar em segundo plano, atuando como um suporte de uma grande ideia.