O Social Media Week é um evento global realizado simultaneamente em 21 países e focado em refletir sobre como as mídias sociais estão impactando e mudando governos, corporações e a sociedade como conhecemos.

Estamos em São Paulo para cobrir a edição brasileira do evento, que vai até o dia 16/02. São 4 espaços diferentes, abordando diferentes aspectos das mídias sociais: Think Tank Stage (keynotes), Learning Stage (dados e ideias), Practice Room (workshops) e Brainstorm Room (conversação).

Como as agendas são simultâneas, iremos listar o que rolar de mais importante em cada dia.

DIA 1

Sérgio Valente estava certo?

Essa pergunta se refere ao episódio onde o presidente da DM9 disse que os modelos de agências ditas tradicionais ou digitais estavam mortos, e um novo modelo se faz necessário.

Representando a DM9, Moa Netto disse que a agência está “em cima do muro” entre o tradicional e o digital, e pensa mais em ideias do que em que mídias tradicionais. Já os outros debatedores disseram que o cliente é quem precisa controlar as grandes agências, que sempre vão preferir anunciar em grandes mídias, por causa do bevê.

Além disso, foi discutida a necessidade dos clientes terem múltiplos fornecedores, cada qual com o foco em uma solução. Marcelo Tripoli, CEO da iThink, disse que esse tipo de postura é importante, e os clientes já veem isso. Essa constatação foi confirmada por João Bell, da Vivo, que disse que embora seja confuso lidar com a multiplicidade, é necessário.

Por que fazer videoclipe pra TV se o público tá todo na Internet?

O músico Esdras Nogueira e o produtor Fabrício Ofuji, da banda Móveis Coloniais de Acaju, se juntaram ao Creative Freakout Steve ePonto para mostrar que com boas ideias (e às vezes pouca grana) é possível fazer uma excelente comunicação com o público na web. Foram apresentados os cases das ações que levaram aos clipes de O Tempo e Dois Sorrisos, e no final o público pode conhecer o mais recente projeto da banda, Ctlr+Alt+Móveis, que começou com um vídeo interativo produzido durante a Campus Party e tem como objetivo desenvolver novas ideias criativas para o mundo da música.

Verdades, mentiras e social media!

Numa conversa descontraída entre amigos, Ken Fujioka e os (grandes) planners Aldo Pini, Daniel de Tomazo, Eduardo Lorenzi e Patrice Lamiral debateram o futuro dos “especialistas em social media”, a não necessidade de ter um planejamento focado na área, e comentaram alguns #fails dos quais fizeram parte. Além disso, ressaltaram que é desnecessário perder tempo falando de métricas super específicas da Fan Page (likes), quando temos objetivos bem maiores.

Não é só mais uma Rede Social. É uma Mídia Social!

O evento foi finalizado pelo Social Media Marketing Executive da 55 Social, Emílio Maciel, que conduziu um bate-papo intimista sobre sua empresa e as visões de cada um dos presentes sobre o mercado.

Voltamos em breve com a cobertura do Social Media Week SP!