3bits Vision 17.05.2016

3bits Vision – Cannes Review 2015 – Parte 2

3bits Vision – Cannes Review 2015 – Parte 2

No texto anterior, discutimos a tendência do mercado em produzir conteúdos capazes de derrubar estereótipos de gênero e redefinir conceitos. Hoje, vamos explorar outro caminho da comunicação: o de perceber que se os problemas são locais, a solução também é local.

Foi o que a Geometry Global percebeu. Sua tarefa era simples: distribuir peças de ferro para que a população anêmica do Camboja pudesse suprir uma deficiência em sua alimentação. Porém, o objeto sem personalidade, logo se tornou apenas mais um utensílio da casa. A solução para que esse recurso fosse realmente utilizado foi conhecer a cultura local. Assim, o pedaço frio de ferro tomou significado na forma do Lucky Iron Fish. Rapidamente, a fama desse peixinho se espalhou, mudando vidas, conquistando o coração de várias pessoas e o Grand Prix em Product Design.

Já o Grey Group, ao se deparar com a dificuldade das mulheres indianas em conseguir medicamento, entendeu logo que a solução local era o caminho a ser seguido. Dessa forma, se apropriou de um símbolo de beleza presente na cultura indiana para distribuir a quantidade certa de iodo que cada uma necessita durante o dia, para reverter o preocupante quadro de deficiência generalizada desta substância entre as mulheres. O Life Saving Dot passou a ser mais do que um símbolo de beleza, se tornou também um símbolo de esperança, vencendo o Ouro em Product Desing.

E foi entendendo a cultura de seu público, combinando desafios extremos e veículos notáveis que a agência Forsman & Bodenfors desenvolveu a campanha Volvo Trucks. Em uma série de vídeos a montadora compartilha a paixão dos suecos por aventura e coloca pessoas reais, que trabalham diretamente com a Volvo para participar de experiências incríveis como  ter um caminhão guiado por um hamster. De tão memorável, a campanha teve o vídeo “The Epic Split” eleito como um dos melhores anúncios em uma década de Youtube e, claro, levou para casa o Grand Prix por Creative Effectiveness.

Essas campanhas nos mostram que estabelecer um relacionamento próximo com a cultura local e com as pessoas ali inseridas sempre será uma forma efetiva de resolver problemas, muito mais do que criar novos recursos. Algo muito próximo da tendência que havíamos discutido no texto anterior, que é a de se aproximar de seu público para construir conteúdos realmente relevantes.

No próximo texto, falaremos sobre como um recurso já existente não limita nossa atuação.

Até lá!

Gostou do Post ou quer compartilhar algo?

Mande um e-mail pra gente.